Untitled Document
Voltar para a Home...   quarta-feira, 26 de setembro de 2018
Siga-nos no Twitter...
Voltar para a Home...

Notícias Síndico News


20/3/2018
Segurança em condomínios: abalada pelo turismo?
Sempre é bom salientar que um condomínio não pode contratar qualquer tipo de funcionário para funções de segurança

Já faz um tempo que aplicativos e plataformas on-line têm uma nova forma de oferecer produtos e serviços a custos mais baixos — uma delas são os sites como o AirBnB, que oferecem hospedagens por preços bem mais em conta dos praticados pelas redes hoteleiras. Mas o que isso tem a ver com os condomínios? Nos últimos meses, proprietários de imóveis têm colocado seus apartamentos para locação, apartamentos de condomínios residenciais. E é aí que mora o maior perigo.

Sem ter uma legislação que proíba ou regulamente tal situação, diversos condomínios têm sofrido com o aluguel dos apartamentos, deixando a segurança cada vez mais fragilizada. No ano-novo, 150 mil pessoas fizeram reservas pelo aplicativo no Brasil, e diariamente muitas viajam a negócios. É possível imaginar que um morador decida alugar três quartos para três casais por dia, sendo seis hóspedes diferentes que utilizarão as dependências do condomínio. Se mais um morador utilizar o mesmo recurso, podem ser centenas de novas pessoas passando por mês na portaria.

Com a alta rotatividade, a portaria não saberá quem entra e quem sai, os próprios moradores não se reconhecerão, todo o sistema de cadastro de veículos e acompanhamento diário do prédio se perderá. Por isso, nunca foi tão claro o papel do morador na segurança e na manutenção de seu condomínio. Anunciar o recebimento de encomendas, identificação de pessoal — como babás ou diaristas ou prestadores de serviço — é o básico. E no caso do AirBnB, cabem aos condomínios tomarem as iniciativas para regulamentar a ação.

Com o auxílio dos moradores, a ação dos porteiros — que já é fundamental — poderá ficar ainda mais eficiente. Mas sempre é bom salientar que um condomínio não pode contratar qualquer tipo de funcionário para funções de segurança preventiva. O porteiro precisa ser treinado, pois ele tem a importante tarefa de inibir furtos e assaltos. Na maioria dos casos, a falha está justamente no momento da averiguação ou liberação de visitantes e prestadores de serviços. Por isso, alertar condôminos quanto às atitudes irresponsáveis e investir em treinamento e tecnologia vale a pena. Há empresas de serviços terceirizados com experiência na gestão e na preparação de profissionais capacitados para agir e evitar situações desagradáveis.

No entanto, a ação da portaria se deve juntamente à disciplina e às regras que devem ser seguidas e respeitadas pelos condôminos. A colaboração deles é primordial e fundamental para a segurança do condomínio e a vida tranquila em um ambiente familiar.

 



25/9/2018
Vaga de garagem: motivo de polêmicas que costumam virar brigas em condomínios
25/9/2018
Manutenção e economia de elevadores em condomínios: mitos e verdades
25/9/2018
Síndicos profissionais se popularizam nos condomínios
25/9/2018
Pastilhas de porcelana modernizam piscina e valorizam condomínio
25/9/2018
O que é de responsabilidade do condomínio na segurança?
25/9/2018
Dinheiro de leilão pode ser usado para quitar condomínio após arremate
21/9/2018
4 erros que o síndico não pode cometer!
21/9/2018
A negligência do Síndico e sua responsabilidade civil e criminal
21/9/2018
Não atrase o pagamento se não receber o boleto de condomínio
21/9/2018
Devedor pode usar o salão de festas?

Untitled Document

Jornal Sindico News - Editora Santa Luiza Ltda.
Tel: 11 5573-0333 - São Paulo - contato@sindiconews.com.br
© COPYRIGHT 2012 - Todos os direitos reservados
 
1681867 visitas
 
Desenvolvido por