Untitled Document
Voltar para a Home...   quarta-feira, 21 de agosto de 2019
Siga-nos no Twitter...
Voltar para a Home...

Notícias Síndico News


3/6/2019
Brigas em Condomínios podem ferir o bolso
Um fator que geralmente causa desentendimentos é resultado da falta de participação nas assembléias

Novo Código Civil impõe multas altas

A desobediência às regras da boa convivência – incluindo aquelas inesquecíveis brigas – pode se tornar um acontecimento menos freqüente nos condomínios. É que, com as mudanças no Código Civil, o desrespeito à lei vai pesar no bolso. Se antes não havia definições específicas sobre punições na legislação, a partir de agora haverá multa para o condômino problemático e até expulsão. O morador que levar ao extremo a impossibilidade de convivência com os vizinhos pode ser multado em até dez vezes o valor do condomínio. A punição pode chegar à desocupação do imóvel. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Condomínios Prediais do Litoral Paulista (Sicon), Rubens Moscatelli, os valores das multas para comportamento anti-social seguiam, até então, a Convenção Condominial (regulamento próprio de cada condomínio), como percentuais relativos ao valor do condomínio ou ao do salário mínimo. Além da Convenção, Moscatelli lembra que o síndico já contava com a Lei dos Condomínios (4591/64), mas agora o Código Civil vai definir multas e critérios de punição.

Antes de ser multado, no entanto, o condômino necessita ser notificado. “A notificação não precisa necessariamente ser feita por um advogado, mas tem suas formalidades. É preciso deixar claro o descumprimento da regra, a conduta irregular, o artigo infringido e a penalidade”.

O advogado explica que muitas desavenças ocorrem porque os moradores não seguem a Convenção. A maioria desconhece as leis que regem essa convivência. “A Convenção pode variar, mas geralmente aborda os mesmos itens, como a proibição de animais no prédio que prejudiquem a ordem e a saúde, de barulho tarde da noite, além do uso de vagas nas garagens, entre muitos outros temas que costumam geram discórdia”.

Um fator que geralmente causa desentendimentos é resultado da falta de participação nas assembléias. “Muitas vezes um condômino se surpreende com uma decisão que foi tomada sem a sua presença e discute com os demais. Por isso é importante que todos participem”.

Com a mudança no Código, o advogado acredita que as pessoas vão ficar mais cautelosas e que a convivência tende a se tornar mais harmoniosa, ainda que por imposição legal. “Quando o bolso é ameaçado, as pessoas pensam mais antes de criar confusão”.

Para evitar problemas de convivência, ele aconselha os moradores a conhecerem a Convenção do prédio onde moram. “Ela se encontra à disposição no cartório”. O presidente ressalta, no entanto, que as regras de convivência dependem de bom senso e educação. “Falta diálogo, o que impossibilita a solidariedade”. Não-raro, os desentendimentos levam a atos de vandalismo, lembra Moscatelli. “Riscam carros, urinam nos elevadores, destroem objetos e depois, querem que o prédio arque com as despesas”.

Idosos e crianças são alvos constantes de diferenças. “É preciso preservar o direito das pessoas. Os pais devem orientar seus filhos a respeitar os idosos”. E, para quem se sente tentado a separar brigas de casais, um conselho: “O síndico não deve apartar este tipo de briga, pois estaria invadindo a privacidade, a não ser em caso de risco de violência. Moradores que se sentirem incomodados com discussões constantes podem recorrer à notificação ou simplesmente tentar dialogar”.

Mas, quando um problema de convivência não tem solução, a saída é recorrer à Justiça, ensina o presidente do sindicato. “A tendência é que as pessoas cobrem mais seus direitos como condôminas, já que ficou mais fácil o acesso à Justiça, como é o caso dos juizados especiais”, lembra Moscatelli.

 



16/8/2019
Condomínio que pode ‘travar’ a Raposo Tavares vira alvo de batalha judicial
16/8/2019
Família do zelador pode usar áreas comuns do condomínio?
16/8/2019
Arrematante de imóvel responde por despesas vencidas de condomínio
16/8/2019
Contador para condomínios é obrigatório ou é opcional?
16/8/2019
Como ocorre a definição de regras no condomínio
16/8/2019
O que faz uma administradora de condomínios?
31/7/2019
Como está o telhado do seu condomínio?
31/7/2019
Cuidados com infiltrações e impermeabilização no condomínio
31/7/2019
Seguro do apartamento x seguro do condomínio: Qual a diferença?
31/7/2019
Mau uso da água em condomínios onera consumo em 30%

Untitled Document

Jornal Sindico News - Editora Santa Luiza Ltda.
Tel: 11 5573-0333 - São Paulo - contato@sindiconews.com.br
© COPYRIGHT 2012 - Todos os direitos reservados
 
2225616 visitas
 
Desenvolvido por