Untitled Document
Voltar para a Home...   quarta-feira, 21 de agosto de 2019
Siga-nos no Twitter...
Voltar para a Home...

Notícias Síndico News


23/5/2019
Aprenda a identificar os problemas de elevador do seu condomínio
Problemas de elevador normalmente representam uma grande dor de cabeça para o síndico e os moradores de um condomínio.

O risco à segurança, a pausa no funcionamento do equipamento e o seu custo de manutenção representam transtornos e frustrações para todos os envolvidos — especialmente para os síndicos.

Muitas empresas de manutenção acabam se aproveitando da falta de conhecimento sobre elevadores e cobram por serviços desnecessários, o que eleva o valor a ser pago.

E isso é uma preocupação, porque influencia no valor que os moradores precisam pagar e aumenta as chances de atrasos, reclamações ou até inadimplências.

Entretanto, mesmo não sendo técnico ou especialista no assunto, é possível reduzir esse valor e não ser passado para trás.

Existem algumas formas de identificar falhas no elevador do prédio e a real necessidade de reparos, compreendendo melhor o que a equipe de manutenção faz e se o trabalho foi realizado como deveria.

Pensando nisso, listamos aqui os principais problemas de elevador, suas possíveis causas e os reparados que ajudam o síndico e moradores do condomínio! Confira:

Paradas repentinas e desembarques abruptos
Os elevadores são programados para não realizar paradas repentinas entre os andares. Então, caso isso aconteça, é um sinal de que há algo de errado. As possíveis causas para esse acontecimento são três:

falha no programa: a configuração está errada;
problemas de temporização: erro na configuração do programa;
falha elétrica no prédio.
Infelizmente, nos dois primeiros casos, a sua empresa de manutenção deve ser acionada.

Por outro lado, esses problemas de elevador podem ser considerados dentro do seguro do equipamento, uma vez que o ideal é que o programa do elevador seja configurado para que isso não ocorra.

Além disso, caso uma falha elétrica ocorra, elevadores normalmente possuem geradores que garantem que o elevador volte a funcionar — pelo menos, para retirar seus passageiros no andar seguinte.

Ainda assim, é indicado parar o equipamento durante o período sem energia e instruir os moradores a usarem as escadas.

Faça o teste do elevador após uma falha elétrica e verifique se as paradas abruptas continuam acontecendo. Nesse caso, deve-se entrar em contato com a empresa de manutenção.

Falhas ao abrir ou fechar
Outro problema comum de elevadores é a falha nas portas. O ideal é que eles tenham medidas de segurança, como sensores que identificam pessoas tentando entrar ou sair durante o fechamento das portas, abrindo para que os indivíduos terminem suas ações.

Logo, quando uma porta fecha em membros dos passageiros ou não abre como deveria, é necessário realizar a manutenção desses sensores.

E tenha em mente que esse é um problema sério, que pode levar a acidentes graves com os moradores. Por isso, quando ocorrido, o ideal é parar o funcionamento do equipamento.

Mudança de piso
O processo de elevação ou descida do elevador deve ocorrer de forma tranquila, sem diferentes sons, velocidades ou pausas. Quando qualquer um dos indicadores citados ocorre, é um sinal de problemas no equipamento.

Velocidades muito rápidas podem gerar incômodos aos usuários, levando a tonturas e insegurança em relação ao equipamento, e pausas inesperadas podem causar crises de ansiedade e pânico em moradores claustrofóbicos, por exemplo.

Portanto, como medida de segurança, o indicado é entrar em contato com a empresa de manutenção interromper o funcionamento do elevador.

Barulhos no rolamento
O rolamento do elevador é um dos elementos que fazem com que o seu funcionamento ocorra normalmente, sendo responsável pela redução do atrito entre as demais partes que se movem.

Normalmente, aplica-se graxa aos rolamentos do elevador a fim de reduzir possíveis ruídos gerados e aumentar o tempo de vida do equipamento.

No entanto, alguns barulhos podem indicar problemas de elevador, e não apenas atrito entre as partes. Caso algum ruído permaneça, é possível que haja um problema no motor do elevador, o que aumenta as vibrações e ruídos e o desgaste das peças.

Uma solução, nesse caso, é usar um absorvente indutivo, um material que absorve as correntes de vibração e protege os equipamentos, reduzindo ruídos e desgastes.

Desgaste nas roldanas
As roldanas são responsáveis por suportar os elevadores; seus sulcos são presos aos cabos de aço que realizam a movimentação do equipamento.

Com o passar do tempo e o uso do elevador, é comum que esses itens se desgastam, o que gera uma tensão maior nos cabos de aço. E essa tenção pode produzir lentidão no equipamento. Então, caso isso aconteça, peça uma avaliação da estrutura de seu elevador.

O tempo de vida útil desses itens depende de fatores como tempo e frequência de uso, entretanto, não é comum ter que realizar trocas frequentes. Para se ter uma noção, espera-se que um cabo de aço apresente sinais de desgaste em, no mínimo, 10 anos de uso.

Degrau no elevador
Isso pode parecer algo que não faz muita diferença, mas o mau nivelamento entre a cabina e o pavimento, que cria um degrau, é a principal razão para tropeços.

Uma boa manutenção vai estar sempre atenta a essa situação para fazer os ajustes necessários e minimizar o degrau.

Agora, para ampliar sua efetividade, você pode repassar essas informações para os moradores, instruindo que eles notifiquem você e a portaria quando qualquer um dos problemas ocorrer, reduzindo o risco para as demais pessoas.
Além disso, ao escolher a sua empresa de manutenção, busque o máximo de informações antes de contratar e tenha bastante atenção na hora de fazer o contrato de manutenção de elevadores.
Uma maneira de resolver essa situação rapidamente é através de uma consultoria em elevadores. 

 



16/8/2019
Condomínio que pode ‘travar’ a Raposo Tavares vira alvo de batalha judicial
16/8/2019
Família do zelador pode usar áreas comuns do condomínio?
16/8/2019
Arrematante de imóvel responde por despesas vencidas de condomínio
16/8/2019
Contador para condomínios é obrigatório ou é opcional?
16/8/2019
Como ocorre a definição de regras no condomínio
16/8/2019
O que faz uma administradora de condomínios?
31/7/2019
Como está o telhado do seu condomínio?
31/7/2019
Cuidados com infiltrações e impermeabilização no condomínio
31/7/2019
Seguro do apartamento x seguro do condomínio: Qual a diferença?
31/7/2019
Mau uso da água em condomínios onera consumo em 30%

Untitled Document

Jornal Sindico News - Editora Santa Luiza Ltda.
Tel: 11 5573-0333 - São Paulo - contato@sindiconews.com.br
© COPYRIGHT 2012 - Todos os direitos reservados
 
2225605 visitas
 
Desenvolvido por