Untitled Document
Voltar para a Home...   quarta-feira, 23 de outubro de 2019
Siga-nos no Twitter...
Voltar para a Home...

Artigos
DIMINUIÇÃO DE CUSTOS NO CONDOMÍNIO

Como um síndico pode diminuir os custos do seu condomínio?
Dicas para reduzir os custos de manutenção e operações prediais
Os síndicos de edifícios geralmente veem a manutenção como um custo irrecuperável, e que na grande maioria das vezes lhes dá muita dor de cabeça. O dinheiro é gasto em problemas urgentes, e isso se torna um empreendimento caro à medida que os apartamentos em condomínio envelhecem. 


Se a manutenção não se tornar uma prioridade, nossas equipes de construção ficarão sobrecarregadas com tarefas reativas, dinheiro será perdido com a diminuição da eficiência energética e os ativos da construção serão substituídos prematuramente. 

Encantar os ocupantes com prédios bem administrados e priorizar o gerenciamento proativo dos prédios pode realmente render dividendos em nossa capacidade de evitar reparos dispendiosos. Portanto, se você é síndico e gostaria de diminuir os custos do seu condomínio, use as estratégias abaixo para otimizar o gerenciamento do seu edifícios e priorize a redução de custos de manutenção. 

1. Reduza o tempo de resposta da solicitação de manutenção 

Toda vez que algo dá errado em seu prédio ou casas em condomínio em São Paulo, o tempo de resposta de manutenção reativa reduzido é uma oportunidade para mudar de comportamento enquanto gestor de um condomínio. Responda prontamente às solicitações de manutenção e priorize o atendimento aos moradores. Existem várias maneiras de reduzir o tempo de resposta da solicitação de manutenção. 

O primeiro é fácil: alternar entre sistemas ou planilhas de pedidos de serviço em papel para um sistema de gerenciamento de instalações. Próximo? Certifique-se de ter plantas baixas atualizadas de cada uma de suas instalações, para que os técnicos de manutenção saibam exatamente para onde ir ao responder às suas solicitações de serviço, em vez de ir e voltar sem cumprir uma ordem de serviço. 

2. Automatize a manutenção preventiva 

A manutenção preventiva costuma ficar atrás de problemas reativos devido à prioridade. Em última análise, porém, não concluímos todos os projetos de manutenção de nossos edifícios devido à falta de tempo e dinheiro. Passamos grande parte de nossos dias inserindo dados, respondendo a tarefas imediatas e procurando informações em vez de realmente resolver problemas. 

A falta de acesso a essas informações é o maior contribuinte para a ineficiência na gestão de edifícios atualmente, e é isso que nos leva a terminar de volta naquele ciclo de manutenção reativa. Ao obter acesso às informações de construção necessárias e configurar ciclos de manutenção preventiva em um software de gerenciamento de instalações , você estará um passo à frente no seu planejamento e estará ainda um passo mais perto de economizar tempo e dinheiro. 

No gerenciamento de instalações, a maioria das tarefas de manutenção é classificada como "reativa" ou "preventiva". É importante saber a diferença entre as duas, pois os departamentos de instalações mais bem-sucedidos mantêm um equilíbrio saudável entre a manutenção reativa e a preventiva. 

Muita manutenção reativa pode deixar sua equipe estressada e sobrecarregada. É por isso que é importante criar um programa que enfatize a manutenção preventiva e minimize o potencial de manutenção reativa. 

3. Evite a manutenção reativa!

Uma abordagem reativa ao gerenciamento de instalações exige que algo dê errado ou quebre antes que o problema ganhe atenção. Quando um ativo falha, um técnico de manutenção identificará o problema que ocorreu e tomará as medidas necessárias para restaurar o ativo à condição operacional. 

Embora uma mentalidade de “esperar até que ele quebre” possa inicialmente funcionar para alguns, os gerentes de instalações e suas equipes podem ficar sobrecarregados à medida que os problemas de manutenção acumulados em excesso começam a se acumular. Os custos de reparo podem se multiplicar quando problemas conhecidos não são corrigidos. Por exemplo, um reparo relativamente insignificante pode piorar rapidamente quando não for tratado. Como resultado, os custos totais de reparo aumentam significativamente.

A manutenção preventiva oferece uma variedade de benefícios sobre a manutenção reativa. Economizar dinheiro é uma grande vantagem, mas uma vantagem ainda maior é saber que sua equipe está segura no trabalho. A manutenção preventiva reduz o risco e o perigo em suas instalações, pois equipamentos perigosos são constantemente monitorados, inspecionados e reparados. Equipamentos seguros podem levar a uma maior satisfação dos funcionários e a menos sinistros no local de trabalho, uma vantagem para todos os envolvidos.

4. Tenha controle sobre a vida útil de equipamentos 

Vale para elevadores, portões, câmeras e todo tipo de equipamento instalado em seu condomínio. A maioria dos ativos em uma instalação, incluindo equipamentos, máquinas e itens de linha, são usados diariamente e se desgastam com o tempo. Os equipamentos das instalações não duram para sempre; portanto, é importante que os gerentes das instalações determinem o número médio de anos em que um ativo será útil antes que seu valor seja totalmente depreciado. Esse conceito é conhecido como vida útil estimada de um ativo.

A vida útil de um produto ou equipamento é afetada por muitos fatores, incluindo a idade do ativo quando ele foi comprado e a frequência com que o ativo é usado. A vida útil também é afetada por fatores físicos e econômicos. 

Os fatores físicos que afetam a vida útil podem incluir data de vencimento do ativo, desgaste, deterioração e baixas inesperadas, como incêndio, enchente e roubo. Os fatores econômicos que impactam a vida útil podem incluir mudanças na demanda de ativos, substituição do ativo por uma versão mais eficiente e degradação física/técnica imprevista. 

A gravidade de cada fator desempenha um papel na vida útil de um ativo. Por exemplo, um ativo que recebe pouca ou nenhuma manutenção preventiva provavelmente experimentará alto desgaste e uma vida útil mais curta. Existem muitas variáveis na determinação da vida útil de um ativo, mas a determinação desses dados não precisa ser difícil ou estressante. 

A vida útil estimada dos ativos afeta seu programa de manutenção preventiva. O objetivo da manutenção preventiva é prever e prevenir falhas catastróficas nos equipamentos antes que elas ocorram, realizando inspeções, manutenção e reparos de rotina. A manutenção preventiva pode prolongar significativamente a vida útil dos ativos, uma vez que o equipamento da instalação é mantido em ótimo estado de funcionamento. A vida útil prolongada pode levar a economias de orçamento em seu condomínio e pode ser facilmente rastreada por meio de um software que te lembre sobre a necessidade de manutenção.

5. Utilize um software para gerenciar manutenções

Um dos maiores drenos do orçamento pode ser o treinamento e a integração de novas instalações e equipe de manutenção. Pode ser difícil alocar equipe extra para novos funcionários para garantir que eles aprendam as regras durante os primeiros meses de trabalho. 

Se sua equipe estiver usando um software de gerenciamento de instalações, especialmente um software que possui mapeamento de ativos e plantas baixas digitalizadas , seus novos funcionários poderão aprender rapidamente os detalhes e rotas e rotas de suas instalações com facilidade. 

Seu software também pode economizar muito tempo quando se trata de procurar informações críticas, como históricos de manutenção, manuais de ativos ou notas especiais deixadas por sua equipe. Com o software de instalação certo, o treinamento de novos funcionários pode ser reduzido de meses a semanas e economizar no orçamento significativamente!

Gostou deste artigo? Aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais!


  Untitled Document





Untitled Document

Jornal Sindico News - Editora Santa Luiza Ltda.
Tel: 11 5573-0333 - São Paulo - contato@sindiconews.com.br
© COPYRIGHT 2012 - Todos os direitos reservados
 
2329820 visitas
 
Desenvolvido por